Notícias
16.03.2011 - Depois de uvas brancas excepcionais, Vale começa a colher as tintas


As uvas Chardonnay, Riesling Itálico e Pinot Noir j foram processadas para originar os espumantes. Agora é a vez de colher as tintas, especialmente a Merlot e na sequência a Cabernet Sauvignon

O calendário da vindima no Vale dos Vinhedos segue as ordens do clima. Nesta safra, devido às condições favoráveis, com chuvas regulares e esparsas, a colheita de variedades precoces foi tranqüila. O sol, que deve se manter nas próximas semanas, traz consigo a certeza de uma qualidade excepcional também para as variedades tintas.
 
“A qualidade das uvas Chardonnay, Riesling Itálico e Pinot Noir foi formidável”, afirma o diretor Técnico da Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), enólogo Daniel Dalla Vale. Ele chama a atenção para os atributos das uvas, assegurando que os espumantes originários dessas variedades deverão atingir altos índices de excelência, colocando na mesa do consumidor produtos com qualidade superior.
 
O ponto de colheita dessas uvas levou em consideração a preservação de uma acidez marcante, o que proporcionará espumantes frescos e longevos. Por isso, o equilíbrio entre o açúcar e a acidez é fundamental. “Com o álcool potencial variando entre 10 e 11 graus e a acidez de 8 e 9 g/l em ácido tartárico, a sanidade dos cachos está perfeita”, comprova o enólogo.
 
A qualidade das tintas também está surpreendendo. A previsão de tempo firme em março traz boas perspectivas aos produtores. Variedades como a Merlot - grande aposta das vinícolas do roteiro -, a Tannat e a Ancellotta já estão sendo colhidas. Agora é a vez de colher a Cabernet Sauvignon e a Cabernet Franc. “Nossa expectativa é grande. Esperamos que as condições continuem favoráveis, assim como foi com as variedades brancas”, comenta Daniel Dalla Valle.
 
O enólogo esclarece que é necessária também muita paciência. “Os cachos começarão a ser colhidos somente quando estiverem no ponto”, afirma. Por estar atrasada em cerca de oito dias, em relação a anos anteriores, a safra deste ano poderá se estender até o início de abril. Isso se deve às temperaturas amenas registradas nos meses de dezembro e janeiro, tanto durante o dia quanto à noite.

Foto: Silvio Ávila/Acervo Miolo





Voltar