Notícias
03.08.2012 Tintos das safras 2009 e 2010 já podem ser degustados pelos consumidores


Novidades são lançadas por vinícolas do Vale dos Vinhedos nesse inverno. Empresas também aproveitam para apresentar espumantes e vinhos brancos de safras especiais

O inverno no Vale dos Vinhedos pode ser vivido de forma intensa. Os turistas podem contemplar a bela paisagem do roteiro, que se modifica nessa época do ano assemelhando-se a cenários europeus, e curtir as baixas temperaturas degustando vinhos reconhecidos mundialmente. O período anuncia o lançamento de novos lotes que chegam ao mercado trazendo o terroir das safras 2009 e 2010. Os vinhos já podem ser apreciados no varejo das vinícolas, que também se preparam para apresentar espumantes e vinhos brancos de safras especiais, como por exemplo, a de 2011 e 2012.

Ao percorrer o roteiro, com mais de 30 vinícolas abertas a visitação e degustação, o visitante tem a oportunidade de degustar na taça as novidades. Os vinhos tintos das safras 2009 e 2010, que depois de permanecerem durante meses em barricas de carvalho e de terem descansado o tempo ideal nas garrafas, agora saciam o desejo de apreciadores da bebida. Cada vinícola com seus diferenciais e segredos, lançam seus rótulos imprimindo em cada garrafa sua identidade.

Para quem prefere vinhos brancos e espumantes, a oferta recai sobre as safras mais recentes de 2010, 2011 e até 2012, estes eleitos por quem aprecia uma bebida mais jovem. Outra novidade que começa a chegar ao consumidor são os vinhos brancos e espumantes de safras especiais, elaborados com um tratamento totalmente diferenciado do convencional. Isso porque a particularidade de uma safra excepcional instiga o enólogo a pensar na elaboração de produtos diferenciados. A experiência se completa com as visitas enoturísticas nas vinícolas, permitindo ao turista conhecer todo processo de elaboração dos vinhos, da colheita à comercialização.

O Vale dos Vinhedos foi a primeira região produtora de vinhos do Brasil a conquistar a Indicação Geográfica, reconhecida pela União Europeia em 2005, o que abriu as portas para o mercado internacional.

Foto: Naiára Martini





Voltar