Notícias
26.03.14 Faixas de mobilização mudam paisagem do Vale


Empreendimentos se unem e reivindicam melhorias de infraestrutura para o roteiro com destaque para o projeto da Ciclovia

Quem visita o Vale dos Vinhedos nesta última semana de março está sendo recepcionado não somente pelos bons vinhos e por um cenário que já anuncia o charme do outono com seus tons avermelhados, como também por faixas de mobilização que mudaram a paisagem do roteiro enoturístico mais famoso do Brasil. Expostas em frente às vinícolas, restaurantes e hotéis, elas denunciam a insuficiência de investimentos de infraestrutura básica. O principal pleito é pela Ciclovia, projeto que traria respeito e segurança aos visitantes, moradores e trabalhadores do local.

A ação, liderada pela Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), reivindica, entre outros pleitos, a conclusão da revisão orçamentária do projeto da Ciclovia, que o governador Tarso Genro solicitou ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), além do repasse da gestão da obra para o Governo Municipal. “Estamos cobrando atitude das autoridades. O visitante precisa saber que nossa busca por melhorias é contínua e para melhor receber precisamos ser atendidos pelos governantes. O descaso é muito grande e já se arrasta por muito tempo”, protesta o presidente da entidade, Juarez Valduga.

A cada dia, novas faixas surgem entre os vinhedos, mostrando a indignação dos empreendedores que integram o roteiro, que estão fazendo sua parte com investimentos em atendimento ao visitante e na qualidade da produção. “Aproveitamos o período da Movelsul Brasil, que atrai profissionais do mundo todo, para compartilhar nosso descontentamento e o de milhares de visitantes que precisam de estradas mais seguras, com acostamento, sinalização, iluminação e sem buracos. Estamos às vésperas da Copa, precisamos destas melhorias urgentemente”, argumenta a vice-presidente da Aprovale, Deborah Villas Bôas Dadalt. Para ela, o impacto desta ação refletirá na formação de um grupo cada vez maior que divide a mesma opinião pública: providências imediatas do Estado.

A mobilização, que não tem data para terminar, deverá se estender por todo o Vale dos Vinhedos. “Estas faixas são o nosso clamor pacífico de protesto”, enfatiza Valduga.

Foto: Naiára Martini



Voltar