Notícias
09.07.14 É Vale dos Vinhedos, é Brasil


Roteiro da Serra Gaúcha reserva atrações enoturísticas que só o Brasil tem e que atraem gente do mundo inteiro. Inverno lidera procura e estima mais de 80 mil turistas

Tem experiências que a cultura do vinho proporciona que nunca se esquece. Conhecer a vinícola guiado pelo cantineiro, olhar o vinhedo adormecido, participar da elaboração do próprio vinho, caminhar entre tanques de aço inox e sentir o cheiro característico de uma cantina provando vinhos ainda em processo de elaboração, degustar outros já em barricas de carvalho ou, ainda, abrir uma garrafa e fazer uma grande descoberta. Isso sem contar o calor humano e o aconchego da lareira, o conforto e a hospitalidade de pousadas e hotéis e as mesas fartas e variadas com banquetes servidos pelas ‘nonas’ e também por chefs. São vivências que o turista experimenta no Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha, a 120 km de Porto Alegre.

O Vale dos Vinhedos é atração o ano todo, mas é no inverno que atinge seu ápice. O charme da estação, harmonizada com a vasta carta de vinhos das cerca de 30 vinícolas que integram o roteiro e os cardápios especiais oferecidos pelos restaurantes, formam um convite irresistível para curtir o frio. Para completar, verdadeiros cartões postais com paisagens únicas, que se transformam a cada estação exaltando as belezas da região. A cada curva, um novo cenário. Em cada gole, uma nova emoção. De junho a agosto, a rota deverá receber mais de 80 mil visitantes, muitos atraídos pela expectativa da neve ou mesmo pela tradicional geada.

Para quem procura vinhos, o roteiro oferece mais de 500 rótulos. Varietais ou assemblages, de pequenas, médias ou grandes vinícolas, as garrafas reservam particularidades que expressam o terroir da região. Nesta época, os vinhos mais encorpados ganham a preferência com destaque para os tintos da variedade Merlot e os brancos Chardonnay, castas emblemáticas da Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (DOVV).

São muitas paradas em uma estrada que leva a vários caminhos, sempre cercada por vinhedos, plátanos ou árvores nativas. As vinícolas, cada uma com suas peculiaridades, reservam programas que levam o turista a mergulhar no mundo do vinho. Cada uma do seu jeito, mas todas apostando no enoturismo com experiências como um dia de poda, cursos de degustação, jantares harmonizados e visitas guiadas.

Com uma capacidade de hospedagem simultânea de mais de 700 pessoas, o Vale possui sete pousadas, três hotéis e um SPA do Vinho. São opções diferenciadas que vão desde o aconchego da família ao romantismo. Isso sem contar os demais hotéis que ficam nos arredores, ampliando a estrutura de atendimento ao turista.

Na gastronomia, o cardápio é bem amplo. São 16 restaurantes, além dos espaços gastronômicos em vinícolas que funcionam mediante reserva. A estrutura contempla produtos coloniais, culinária italiana típica e contemporânea (massas, risotos, carnes exóticas), pratos regionais como o churrasco e pizza, com serviços de sequência de pratos, slow food e à la carte. Cada vez mais, as casas apostam em pratos saudáveis com ingredientes cultivados por produtores do Vale, além de plantações orgânicas. A rede se completa com queijaria, café, biscotteria, artesanato, sorveteria, além do Memorial do Vinho, da Casa do Filó e de pontos que oferecem roupas e calçados em couros e móveis antigos.

Em três idiomas
O Vale dos Vinhedos ganha mais uma ferramenta de divulgação. A Secretaria de Turismo de Bento Gonçalves acaba de lançar um “pocket folder”, que além de ser fácil de manusear, reúne informações do roteiro, seus atrativos e mapa em três idiomas: português, inglês e espanhol.

Fotos: Arquivo Aprovale



Voltar