imagem do logo escrito vale dos vinhedos

Como funciona o processo de reconhecimento dos vinhos:

O primeiro passo refere-se ao envio do Formulário de Declaração de Safra juntamente com as atualizações das informações cadastrais das vinícolas solicitantes à Aprovale, gestora da IG Vale dos Vinhedos. As vinícolas devem comprovar através desta documentação a procedência da uva utilizada, que deve ser totalmente da região demarcada para a Denominação de Origem Vale dos Vinhedos.


Após aprovação do primeiro passo, são colhidas amostras dos vinhos inscritos diretamente nas vinícolas solicitantes: seis garrafas por amostra são coletadas pelo Consultor Técnico da Aprovale, para facilitar as operações dos diferentes laboratórios envolvidos. Estas amostras são armazenadas em garrafas específicas para o processo, identificadas por códigos conhecidos somente pelo consultor que as coletou.


Após a coleta, as amostras são encaminhadas para análise sensorial. Aspectos organolépticos qualitativos e quantitativos serão avaliados por um comitê de degustação qualificado, composto por enólogos indicados por associados da Aprovale, um enólogo da Associação Brasileira de Enologia e técnicos indicados pela Embrapa Uva e Vinho. Aspectos visuais, olfativos, gustativos e tipicidade varietal são avaliados às cegas pelos participantes, que apresentam seu parecer individual.


  1. As uvas:
  2. O primeiro passo refere-se ao envio do Formulário de Declaração de Safra juntamente com as atualizações das informações cadastrais das vinícolas solicitantes à Aprovale, gestora da IG Vale dos Vinhedos. As vinícolas devem comprovar através desta documentação a procedência da uva utilizada, que deve ser totalmente da região demarcada para a Denominação de Origem Vale dos Vinhedos.
  3. 100% das uvas devem ser cultivadas e processadas nas área delimitada do Vale dos Vinhedos.
  4. As videiras têm que ser plantadas exclusivamente em espaldeira, com produtividade controlada que não pode ultrapassar 10 toneladas por hectare para vinhos e 12 toneladas por hectare para espumantes. E tudo isto deverá ser provado e reconhecido.
  1. Os vinhos:
  2. Vinhos varietais: mínimo de 85% da variedade principal - para os tintos, Merlot, e para os brancos, o Chardonnay.
  3. Assemblages: para tintos no mínimo 60% do vinho deve ser Merlot, podendo ser complementado com Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Tannat. Para os vinhos brancos, pelo menos 60% deve ser de Chardonnay, podendo ser complementado com Riesling Itálico.
  4. Para espumantes: vinho base Chardonnay e/ou Pinot Noir, pelo menos em 60% de sua composição, podendo ser complementado por Riesling Itálico. Só podem ser elaborados pelo método tradicional, com surgimento das “borbulhas” em processo natural, através da fermentação na própria garrafa.
quem somos
a aprovale

A entidade foi fundada em 21 de fevereiro de 1995 e tem como MISSÃO promover o desenvolvimento sustentável do Vale dos Vinhedos através do enoturismo, da integração entre os associados e a comunidade, e para fomentar a busca contínua pela excelência em produtos e serviços.

saiba mais
indicação geográfica
um terroir único

Primeira região do país a obter o reconhecimento como Indicação Geográfica, o Vale dos Vinhedos traz em si caracteristicas únicas de solo, clima e topografia que, somados à cultura local, resultam em uma região ímpar no mundo. Esta singularidade também está presente nos vinhos elaborados aqui.

saiba mais
selo indicação geografica
Últimas do Instagram
@valedosvinhedosoficial
website desenvolvido por triacca.com.br